Em 2015, no meu estágio de verão na Legendary lembro de escrever algo e receber o feedback da Account que a Vanessa aprovou os textos para a landing page.

Com uma evolução na Worten, a Vanessa é “the real thing” como Head of Social Media e mete mesmo as mãos na massa! Tem um canal na Twitch, um canal no Youtube onde experimenta diversos formatos (incluído Podcast com a rubrica Os Anti-Sociais) e é apresentadora em alguns dos conteúdos da marca.

Adepta de videojogos, da Twitch( e do Twitter) é a #7 convidada do Desconstruindo

Desconstruindo Vanessa Carreiro Amaral, o Gaming e a Twitch

A Worten é muito ativa com a comunidade gamer e criadores de conteúdos da Twitch e Youtube. Do Level Up ao Game Ring e à Game City, a jornada tem sido um Punk Rock com organização e sempre ligada à corrente para não ficar com “Low Battery”?

Tenho a sorte de trabalhar uma marca como a Worten. Uma marca de inovação, que tem perdido cada vez mais o medo de arriscar. Os projetos que temos lançado são um reflexo dessa atitude. Antes da minha chegada às redes sociais da Worten, eu já tinha desenhado uma ideia muito clara do que seria uma presença para a marca nas redes sociais. Pouco a pouco, vou conseguindo implementar alguns desses meus pensamentos. E, claro, fui ajustando-os para aquelas que são as guidelines do negócio e da própria marca. A Tecnologia é o maior eixo de comunicação da Worten. O gaming é relativamente recente. Mas ambos são muito importantes e complementares na estratégia da Worten. Logo, seria muito importante estarmos próximos destas audiências, destas comunidades, e uma das formas de o fazermos é através da criação de conteúdos sobre estes temas. Daí a nossa presença em YouTube com um magazine sobre atualidade tecnológica e novas tendências. E a presença na Twitch, sob a alçada da marca Worten Game Ring, com conteúdos exclusivos sobre jogos com algumas das caras mais conhecidas do meio e também algumas das novas caras, a quem queremos ajudar a dar visibilidade.

Tu própria és uma consumidora e criadora de conteúdos, na Twitch e Youtube, tanto a nível pessoal e para a Worten. Estar por dentro permite ser menos “Anti-Social” nas parcerias e apostar em criadores como o Morais, que pela personagem poderia não ser muito bem aceite pela maioria das marcas?

Acho que é muito importante conhecer as plataformas e o trabalho que está a ser feito por lá. Acredito que a melhor forma de o fazer é pondo as mãos na massa e “criar”/testar. No meu caso, a coisa fica facilitada porque tenho o “bichinho” da criação de conteúdos e isso permite-me conhecer os meios por dentro e por fora. Não só como funcionam do ponto de vista prático, como também quem são os seus maiores criadores de conteúdo e como fazem “a sua magia acontecer”. Quando a Worten assume que quer conquistar um mercado de Gaming, fez-me todo o sentido ativar uma estratégia de “influenciadores” deste meio. Só eles nos poderiam ajudar a atingir essas audiências e fazer com que essas audiências nos começassem a ver como “especialistas” no gaming. Não gosto do termo influenciador. Prefiro criador de conteúdo. Mas a realidade é que a influencia desta malta credibiliza a presença da marca em alguns temas/meios.

O Zorlak a fazer Stream de CS às 7:30 da manhã, o Morais a entrevistar a Carolina Torres no Talk-Show “Pichudo Beleza”, mulheres a fazer ASMR ou a NASA lançar astronautas para o espaço em direto. Afinal, o que é a Twitch?

A Twitch é um Universo de possibilidades. Tanto para criadores de conteúdo como para marcas, instituições e organizações, e ainda para meios mais “tradicionais” como a TV, rádio e imprensa. É a TV do futuro On Steroids! Para já, a maior parte do conteúdo que lá vive está associado aos videojogos e Esports, mas acredito que muito em breve teremos lá de tudo. Desde chefs com estrelas michelin, a gurus do fitness, a reality shows, a artistas das mais variadas áreas. Apesar de já existir há algum tempo, a Twitch é ainda um diamante em bruto, com um potencial gigantesco de alcance e de interação com audiências em real-time. Tenho muita curiosidade em ver como tudo se irá desenrolar.

A indústria dos E-Sports, milhões a assistir concertos virtuais no Fortnite. Os videojogos são muito mais do que videojogos? 

Os videojogos atingiram, finalmente, o estatuto de entretenimento. Finalmente! Como sempre foi o cinema, as séries e a música. O gaming também tem essa finalidade. Sempre teve. Se me entretém, se me traz alegria, se me move de alguma forma, é entretenimento. E melhor, pela sua componente interativa, os jogos tem capacidade de unir as pessoas, de criar relação, de criar memórias.

Há pessoas que jogam juntos 10 ou 15 anos e trabalham nas profissões mais diversas, desde de Advogado a Reparador de Estoros. Os videojogos são o escape caseiro perfeito após um dia ou semana de trabalho?

Podem ser. Assim como uma série de outras atividades. Eu prefiro um bom jogo com uma excelente história e personagens a um livro de ficção. Prefiro uma noitada com os meus amigos a jogar League of Legends, em vez de uma noite de cinema. Mas esse é o meu caso. Acho que tudo o que te divirta, ajude a abstrair um pouco da tua realidade e a relaxar deste mundo cheio de estímulos, é um bom escape. Cada um é como é. Cada um sabe o que é que lhe faz melhor e o que lhe dá mais prazer e descanso. O gaming é só mais uma possibilidade.

“Se os videojogos influenciam…as pessoas tomariam ecstasy após jogar Pacman”. Os videojogos apresentam mais benefícios do que malefícios? 

Jogar faz-me bem. Para além de me divertir, junta-me aos meus amigos. Mesmo que não estejamos a jogar juntos, é tema de conversa e de partilha de experiências. Acredito que, para algumas pessoas, jogos violentos sejam o gatilho para desbloqueio de impulsos desse género. Mas isso não é algo exclusivo ao gaming. Esses mesmos impulsos podem ganhar asas por toda a violência que nos chega através do cinema e até mesmo das notícias que são publicadas diariamente nas redes sociais. Há cerca de um ano, escrevi num tweet que “jogo FPS desde sempre e que nunca matei ninguém”. O problema não é os jogos. O problema é as pessoas, a falta de educação que leva à falta de bom senso e espírito crítico, e a falta de acompanhamento psicológico e psiquiátrico, por ainda ser um estigma social. Esses são os verdadeiros problemas.

Numa edição de “Clueless Gamer” contigo e com o Marcelo Rebelo de Sousa, que jogo escolherias para o presidente jogar?

O Solitário. Mesmo em tempo de pandemia, é difícil manter uma pessoa como o presidente em confinamento. Em alguns momentos, na minha opinião, fez falta que ele se acomodasse. Ele, e outros.

Se a tua vida fosse um videojogo, como seria?

Seria um RPG, com muitos plot Twists, mas com personagens fofinhos como no Crash Bandicoot. Teria a possibilidade de construção, como no Minecraft ou Fortnite, e ainda uma grande capacidade de encaixe, como num simples Tetris.

—-

Desconstruindo #1 João Geada e a Publicidade “Acho a palavra certa no contexto certo vale mais que mil palavras”

Desconstruindo #2 Raquel “Esta Pessoa” e o Storytelling ” “Independentemente da forma que damos às histórias, vamos sempre ter que partir de uma reflexão muito pessoal”

Desconstruindo #3 André Amorim, o Desporto e as Pessoas nas Empresas “Quando se sentarem diante de um candidato procurem conhecer a pessoa em vez do profissional.”

Desconstruindo #4 Elsa Fernandes e a Escrita Web “Para comunicar as suas mensagens, as marcas não precisam (nem devem) sacrificar a verdade.” 

Desconstruindo #5 Carlos Guimarães Pinto e Portugal ” A única forma sustentável de aumentar salários é termos mais empresas a competir pelos mesmos trabalhadores”

Desconstruindo #6 Paulo Rosas e as Redes Sociais “O algoritmo não morreu, o que morreu foi a excelência de conteúdo”

O Desconstruindo é uma rubrica onde se dá voz a profissionais numa desconstrução de um tema, e por vezes, de forma algo filosófica mas muito prática e real.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s