A tua identidade sem graxas

A forma que somos lembrados é como muitos nos definem, e nada melhor que causar boa impressão no primeiro impacto. A típica apresentação “Sou o Manel” não capta a atenção porque já foram ouvidos muitos “Maneis” e não podemos ser mais um. As pessoas recordam momentos, e devemos criá-los para sermos lembrados. Imagina que na hora do lanche duma conferência certa pessoa apresenta-se a ti, como “Boxista dos números, esquivo ao preconceito dos alunos de que a matemática é difícil e chata” dificilmente esquecerias deste professor matemático!

“Um homem sem imaginação é um homem sem asas” Muhammad Ali

Quando ouvimos falar em boxe surgem rockytrês nomes à nossa cabeça Muhammad Ali, Rocky Balboa e Mike Tyson. Este último porque num acto insólito canibalesco trincou a orelha do seu oponente. Há duas maneiras de ser lembrado, por algo mau ou por sermos diferenciadores de uma maneira positiva. Acreditem que não é bom ser lembrado como o gajo que trincou uma orelha, até porque depois nunca mais poderemos contar segredos ao ouvido porque as pessoas ficarão com receio.

Muhammad Ali não tinha o melhor registo de sempre(56 vitórias e 5 derrotas), algo normal no desporto porque os campeões não são invictos durante toda a carreira, a não ser que te chamas Rocky Marciano. Marciano foi a grande inspiração para a personagem de Rocky Balboa e apresenta o registo alienístico de 49 vitórias e 0 derrotas. Um registo impressionante, contudo a personagem de cinema tornou-se mais conhecida que o original. muhammad

Mas não foi o único a ficar mais conhecido, Muhammad Ali também porque tinha carisma, identidade e uma história para contar. Diferencia-se do resto no ringue e fora dele. Dentro dele tinha um estilo próprio, os aficionados do boxe dizem que dançava pelos adversários tal a ginga e rapidez, fora do ringue era um homem com valores e ideias. Muitos podem não conhecer as suas convicções mas em cada imagem, em cada frame vemos a sua força. No ringue não se encontra só um lutador, encontra-se Muhammad Ali e tudo o que ele representa.

O estilo próprio, a coragem em não ter medo em expressar as suas opiniões, toda a sua garra fazem-nos lembrar de Ali. Para ser lembrado basta teres a ousadia de numa conferência fazer uma pergunta não típica, que faças sorrir a plateia e o orador com a tua intervenção e que tenhas sido produtivo(a) para o debate. E nesse momento quebras o gelo para comunicar no final com o orador ou para fazer o follow-up online, mas também quebras o gelo com outros membros que estiveram presentes na plateia! Nem sempre quem tem os melhores “registos” são os escolhidos e lembrados, em muitos casos são os genuínos, os que arriscam, os que são elas próprias sem medo e complexos que ficam na memória. Os que fazem graxa são facilmente esquecidos ou lembrados pelos piores motivos como o Mike Tyson.