Como fazer Passatempos nas Redes Sociais Que Captam E-Mails

Os Giveaways geram imensos comentários e gostos orgânicos mas não permitem trabalhar uma estratégia de funil integrada com E-Mail marketing.

Como Fazer passatempos e recolher E-Mails

Woobox ou o Wishpond são ferramentas fáceis de criação de concursos ou landing pages(não requer conhecimentos em programação). A grande vantagem é a possibilidade de integração com o Facebook Pixel e Google Analytics. Por outro lado, as plataformas permitem integrar o passatempo diretamente numa Tab da página Facebook (Desktop). Em mobile, como não existe a funcionalidade Tab, os participantes são enviados para uma Landing Page.

Tipos de Passatempos

Sweepstakes – Sorteio Giveaway

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Vantagens:

✅ O sorteio aumenta rapidamente uma lista de e-mails de potenciais clientes (um público mais frio ou quente dependendo da segmentação do anúncio no Facebook Ads). Em média, foi demonstrado que os sorteios convertem duas vezes mais do que uma landing page tradicional.

✅ Aumentar seguidores e engagement ao incentivar o gosto e a partilha diretamente da plataforma

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Impulsionar as vendas:

✅Os sorteios são uma forma de incentivar a primeira compra com e-mails de promoções e ofertas especiais pós-concurso.

✅Remarketing nas redes sociais aquando utilização do pixel.

Passatempo de entrada Bónus

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

As ações definidas com bónus aumentam a pontuação do participante, através de gostos de “follow” nas páginas ou participações através do link.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Se pretendem algo mais avançado é possível atribuir pontos por visitar x página do site, ler um e-mail, clique num link do e-mail, etc.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Passatempo de Referral

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Os passatempos de referral funcionam na base da partilha.

✅ Permite que os participantes desbloquem prémios específicos ao indicar uma quantidade de referências. Exemplo: 25 participações através do Link partilhado = Oferta de cupão

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Outros passatempos: Concurso de foto, vídeo, hashtag e tabela classificativa.

Alerta RGPD: Não esqueçam de informar ao participante sobre a utilização de dados e se aceita

Isto dos passatempos funciona?

Exemplo realizado em 2018. Não consigo precisar o Budget em ads, contudo foi muito Reduzido. O cliente obteve mais de 900 E-Mails. Os ads tiveram de ser pausados porque o plano Woobox escolhido pela empresa apenas permitia 1000 E-Mails.

Nota: É possível fazer um upgrade do plano a qualquer momento.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

5 dicas para melhorar a performance dos Facebook Ads

Em Facebook Ads há um provérbio que marca cada campanha – “Na otimização está o ganho”.

1 – Locais de Publicação

Os anúncios da rede Facebook podem ser apresentados em aproximadamente 20 locais de publicação. Os locais devem ser escolhidos estrategicamente para atingir o objetivo definido.

A escolha estratégica dos locais de publicação permite uma maior otimização do budget. Quanto maior o número de pessoas a interagirem com o anúncio menor é o seu custo.

O valor do anúncio aumenta quando é distribuído na coluna direita do FB e em outros locais menos propensos ao clique.

Nota: Um budget diário reduzido aumenta a probabilidade de os anúncios serem distribuídos em locais de menor visibilidade (se estiverem ligados).

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

2 – Utilização de hiperligações no texto da descrição do Facebook

Os anúncios de tráfego, conversão ou remarketing podem ser clicados através do botão “call to action” ou através de uma hiperligação no texto da descrição.

A utilização de ambos permite uma maior obtenção de cliques, sobretudo se o link estiver visível e colocado antes do “ver mais”.

Vantagens em colocar uma hiperligação na descrição

  1. Capta mais atenção: a hiperligação tem uma cor que difere do texto
  2. Não obriga ao scroll para realizar o clique em imagens ou vídeos em formato quadrado.
  3. Um link está mais implícito e visível para o clique para a generalidade das pessoas

Nota: No gestor de anúncios é possível editar o texto para cada local de publicação. Isto permite retirar o link em Instagram e dar um maior foco a informações úteis como portes grátis ou entregas.

3 – Budget diário e repartido por igual para cada anúncio de um conjunto

Este padrão investe todo o orçamento diário de uma forma consistente e facilita o controlo dos orçamentos e o planeamento financeiro antecipado.

Se no conjunto de anúncios forem colocados variações dos anúncios para testes A/B, os orçamentos diários são a melhor escolha porque facilita a alteração do budget.

Os testes A/B devem competir com o mesmo budget para cada anúncio. Deixar a distribuição ao cargo do Facebook não fornece um teste real! Ou seja, o anúncio A pode ter um alcance de 40000, o anúncio B atingir um alcance de 1000 e o anúncio C alcançar 3000 pessoas. A amostragem não permite uma análise equitativa para uma maior otimização dos anúncios.

Quando os anúncios competem com o mesmo orçamento diário há uma avaliação imparcial e permite alocar o budget para os anúncios com melhor performance.

4 – Garantias de segurança para eliminar as dúvidas

A compra online é um ato de confiança! A colocação de bulletpoints com informação útil permite esclarecer eventuais dúvidas e aumenta a confiança do consumidor.

Exemplo de bulletpoints:

🚛 Entregas em 24h/48h | ✅ Portes Grátis acima dos 50€ | ✅ Garantia de 2 anos

Nota: Em tempos de Covid-19 é importante assegurar a segurança da entrega

5 – E-Commerce: da resposta nas redes sociais à venda

É normal existirem perguntas em relação ao preço e comentar que “está na imagem” ou “está no site” não ajuda em nada o potencial cliente. A arte de responder envolve dar a resposta pretendida e ir mais além com informação útil para o processo de compra.

Modelo de resposta

Olá Nome de pessoa, o produto x tem o valor de x euros. Os portes são gratuitos em compras superiores y euros e as entregas são realizadas em Z/h úteis. Se tiver mais alguma questão ou pretender uma sugestão estamos ao dispor 🙂

Solucionar o problema

Segundos dados do INE apenas 37% dos portugueses realizaram compras online. A primeira compra online pode ser complexa para certas pessoas ao terem receio de fazerem “algo mal”.

A solução:   Propor ajudar e perguntar pelo método de pagamento de preferência. No caso de Multibanco: pedir os dados (nome, morada, telefone) e criar uma conta, realizar o pedido de compra e enviar a referência multibanco por mensagem privada.

P.S: O Gestor de Anúncios do Facebook é um funil de vendas que pode ser trabalhado de diferente formas com os diferentes objetivos (alcance, interação, tráfego, conversão). Neste último existem momentos a ser trabalhados e dados a recolher do pixel no site (Page View, Add to Cart, Iniciar Pagamento e Compra). O Pixel sem dados relevantes não redirecciona os anúncios para os objetivos escolhidos sem haver massa critica. Portanto sem um volume de compras considerável ou pagamentos iniciados nas últimas duas semanas não existe uma optimização do pixel. E isto é apenas a ponta do icebergue, existem diversos tipos mais de combinações de anúncios (lookalikes + personalizados, listas de e-mail, remarketing dinâmico ou manual, etc). Mais segmentações A/B, entre outros aspetos!

Oh não! Mais um Dia Mundial nas Redes Sociais

Nas redes sociais o contexto funciona como rei porque um conteúdo sem contexto transforma-se num sapo difícil de engolir.

As redes sociais dão a conhecer diversos dias mundiais até agora desconhecidos mas em muitos casos sem um encaixe para a marca ou rasgo de criatividade e uso de imagens genéricas do banco de imagens.

Num contexto offline, uma empresa que vende tecnologia não distribui flyers com o dia mundial do bolo de chocolate! (True Story)

tumblr_mbqy6garjn1rnvwt1

Se não existe uma aplicação em contexto de negócio, os dias mundiais distorcem com a atividade praticada na empresa ou as causas sociais apoiadas.

Exemplos

Aquando responsável das redes sociais da Ben Goji, uma marca com um espírito mais irreverente, foi utilizado o dia do sexo para comunicar o quanto confortável são os sapatos mas fazendo uma alusão subentendida a preservativos e a sua não remoção.   

A criação de um contexto trabalha a percepção e serve um propósito para alcançar um objetivo perante o receptor. Em social media, o enquadramento é essencial para “encher” o conteúdo e não torna-lo vazio e inócuo. Ou seja, uma publicação sem contexto perde força e impacto!

No Dia Mundial do Rock, por exemplo,foi criado um “cartaz” de festival com modelos da coleção Helter Skelter, com sapatos inspirados em músicas do mesmo género.

 

Embora não seja possível em alguns setores o uso da criatividade adaptado ao dia festivo + empresa/produtos, contudo torna-se necessário diferenciar para despertar a atenção no feed(Vídeos, etc).

 

Exemplo realizado aquando colaborar da  agência de Marketing – Live4Digital 

Como criar imagens 360º para o Facebook

Como criar imagens 360º para o Facebook no Photoshop

As imagens 360º são uma boa forma de divulgar produtos ou na criação de um post mais criativo e interativo.

O processo de criação é muito simples e sem necessidade de “softwares especiais”!

1 – Download de um template 360º para Facebook 

2 – Colocar os elementos na imagem com um intervalo de espaço igual

Como fazer uma imagem 360º

3 – Salvar como (Save As) Jpeg

4 – Upload da fotografia no site Exifer para inserção de dados “Meta”. A inserção de dados é necessária para a simulação de imagem 360º.

5 – Colocação dos seguintes dados “Ricoh” e “Ricoh THETA S”. Como fazer uma imagem 360º

6 – Clicar em Go.EXifing no canto inferior direito e em seguida fazer o download da imagem

7 – Upload da imagem no Facebook. Se o procedimento foi realizado de forma correta, a rede social assume automaticamente como uma foto de 360º.

facebook-360

Tap interage com o comediante mais famoso dos EUA, Jerry Seinfeld no Facebook

Na década de 90, a sitcom onde era protagonista foi líder de audiências, durante 6 anos seguidos. O último episódio, foi visto por 76 milhões de espectadores, quando emitido pela primeira vez no país.

Longe da Tv, Seinfeld em 2012 anunciou o seu regresso através duma websérie, com a premissa de andar de carro com outros comediantes e tomarem um café.

No mais recente trailer, um avião da Tap sobrevoou as filmagens, momento esse, comentado por Jerry Seinfeld através do facebook, onde refere o “avião de carga”.

De uma forma engraçada a Tap interagiu na página do comediante. O comentário aborda ironicamente, o prazer de participar no figurino, e em seguida num acto de relações públicas, esclarecem o tipo de avião e que não importariam de levá-lo a visitar Portugal.

tap seinfeld

Numa altura, em que a companhia área sofre com um lobby de descrédito, salienta-se a acção positiva do gestor de página. O online, especialmente as redes sociais vivem dum ecossistema muito próprio, onde o factor fun faz a diferença.

Não deixa de ser curioso, que o comentário da Tap não sofreu nenhuma repercussão negativa, associado ultimamente comum pelas pessoas ao ouvir o nome da marca. A ousadia recompensou, e acção foi sustentada por portugueses que colocarem gosto no comentário.

Entrevista – Raquel Costa aka A Gaja(personagem fictícia)

“A Gaja” é uma página do facebook criada por Raquel Costa, trata-se duma personagem fictícia que aborda diversas situações do quotidiano mas especialmente relações, homens e mulheres.  A página apresenta diversos tipos de conteúdos, desde imagem, frases rápidas, vídeo a textos mais longos. Geralmente são os textos mais longos e imagens com texto que recebem maior interacção, mas por vezes frases directas e curtas também alcançam bons números. Na página “A Gaja” posta o que apetece apesar de haver muitos fãs a não gostarem conteúdos sobre a casa dos segredos, mas no meio desta anarquia de pensamento existe muito trabalho a nível de social media.

1 – A Gaja nasceu fruto de um grito de revolta contra o politicamente
correcto ou achaste engraçado que as pessoas colocassem like numa
página com um vibrador e rolo da massa na capa(alusão à primeira capa)?

A questão dos número de “likes” nunca foi a parte mais importante. Eu sabia que tinha uma ideia com muito potencial mas, quando comecei a página, não planeei uma meta, fosse ela os 20 mil ou os 2 milhões. A Gaja nasce por uma conjugação de fatores. O primeiro e principal… porque me apeteceu. Escrevo desde os 16 anos, já tive outro blogue (entre 2003 e 2010) e, há três anos, comecei a sentir necessidade de voltar a escrever para outros lerem. Desta vez num registo menos confessional, mais divertido. Menos críptico e mais acessível. E positivo.

A ideia do rolo da massa e do vibrador surge após alguma reflexão. Queria retratar, de forma divertida mas também provocadora, o que é ser mulher em Portugal no século XXI. A dicotomia, muitas vezes antagónica, entre o que a sociedade espera de nós e a aquilo que nos apetece fazer. O rolo da massa simboliza a mulher mais sensual que sexual, mais submissa do que ativa, que rege a sua vida na busca do homem que a complemente. O vibrador é o símbolo da mulher sexual e independente, que vai atrás daquilo que quer, que não precisa de um homem para legitimar a sua existência. O mais engraçado é que estas duas mulheres coexistem dentro de cada mulher!

2 – Desde do inicio a página apresenta um cuidado a nível estético, ou
seja houve um trabalho de planeamento. Quanto tempo demorou da
concepção até à realização e quais as maiores dificuldades que
encontraste pelo caminho?

Esta é uma boa questão, sobretudo porque mudei recentemente o visual da página, introduzindo os logotipos e uma imagem mais estilizada. Numa primeira fase, foi tudo muito orgânico. As duas primeiras sessões fotográficas d’A Gaja (a inicial e a especial Mundial, com a bola de futebol e os cartões) foram feitas na cozinha de minha casa, com uma parede branca como fundo. Esta última (da qual ainda só dei a conhecer um bocadinho…) envolveu uma maior preparação. Entre juntar colaboradores, encontrar um estúdio e uma data em que toda a gente estivesse disponível, reunir roupas e acessórios, acho que demorou um mês e meio. Ao contrário de alguns comentários feitos na página, não creio que aprimorar a imagem d’A Gaja lhe retire autenticidade. Tal como estou sempre à procura de novos temas, para satisfazer os leitores que já lá estão e chamar novos, também acho interessante introduzir novidades do ponto de vista estético.

3 – Em menos de 1 mês, os posts mordazes, sem papas na língua fizeram
com que a página chegasse aos 5 mil likes. Criaste estratégias de
divulgação ou o boca a boca online e offline foram o teu melhor
aliado?

Uma vez que sou jornalista, tenho, no meu perfil pessoal, amigos e amigas muito ativos nas redes sociais e na blogosfera que tiveram a gentileza de partilhar a página. Isso criou um buzz inicial muito interessante, que ajudou a criar uma base sólida desde o início. Em relação a estratégias, penso que a regularidade e a diversidade dos posts foi determinante. Quem segue a página sabe que pode contar com pelo menos um post por dia.

4 – Tens uma linha editorial? Se sim, sofreu transformações com o
decorrer da página?

Não sei se tenho propriamente uma linha editorial. Inicialmente, a ideia era escrever apenas e só sobre relações. Mas depois comecei a pensar que A Gaja (ou qualquer gaja) não vive apenas e só a pensar em relacionamentos. Por isso fui introduzindo gradualmente outros temas, como futebol, política, televisão (quando há uma transmissão de um jogo importante, ou programas de grande audiência que eu ache que tenham momentos passíveis de serem comentados). Tento, apesar do estilo de escrita sarcástico, não ser negativa ou, pelo menos, conjugar posts mais pesados com outros mais leves.

5 – E vais ao encontro do que público gosta ou postas o que te apetece sem pensar em “likes”?

Existe uma tensão permanente entre esses dois fatores. Às vezes caio na tentação de fazer textos sobre um determinado tema, de determinada maneira, porque sei que vou ter uma reação imediata. Mas depois dou um estalo em mim mesma e volto ao registo d’AGaja. Em última instância, faço o que me apetece.

6  – Com o crescimento da página também cresceu uma mulher na Gaja?

A mulher que escreve A Gaja está em permanente crescimento. É preciso não esquecer que A Gaja é uma personagem fictícia.

7 – A Gaja criou novas oportunidades profissionais para a Raquel?

Para já, apenas situações pontuais (como o prefácio do novo livro da Ana Garcia Martins, autora do blogue A Pipoca Mais Doce). Mas haverá certamente novidades em breve…

8 – Com uma base de milhares de fãs, tens em mente alargar o projecto?
Quem sabe uma linha de rolos da massa com frases mordazes, ou um
programa televisivo?

Como se diz na gíria futebolística… prognósticos só no fim do jogo!